O Sinal

“Pois eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e sobre todos os deuses do Egito farei juízos; Eu sou o Senhor. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito”. (Ex. 12:12-13)

Esta é uma Escritura notável para mim. Agora, eu quero que vocês atentem para o que nós vamos falar: “O Sinal”. Um Sinal! Primeiramente eu quero que vocês notem qual é a ordem disto, a ordem da Páscoa.

 Era preciso ser um cordeiro, e era preciso ser testado por quatorze dias. Que é um tipo perfeito de Cristo, o Ante-tipo, um macho, um cordeiro, e Ele foi provado por três anos e meio de Seu ministério, através de críticas e todo tipo de coisa, o clero daquele dia, mas Ele foi provado se ficaria firme na Palavra do Pai. Até mesmo na presença de satanás, Ele disse, “Está escrito”. Constantemente ele derrotou o inimigo com a Palavra. Um exemplo perfeito para nós, hoje: sempre derrotar o inimigo com a Palavra de Deus que está escrita para o dia.

Agora, notamos que no tempo do entardecer, o cordeiro foi morto depois da janta, ao terminar o dia. Da mesma maneira que o Cordeiro foi morto.

Toda a congregação de Israel tinha que matar o cordeiro. E foi Israel quem testemunhou a Sua morte e clamou por Seu sangue. E, notem, este sangue não era misturado com nada mais. Ele não podia ser misturado, era apenas sangue puro desse cordeiro. E ele devia ser passado sobre a verga da porta. Ele não podia ser misturado. Isso é o que é hoje, eles estão tentando misturar tudo o mais com Isto, credos e afiliações, e todos os tipos de entretenimentos e coisas, mas Ele não se misturará. Em absoluto, não se misturará com nada. O Sangue não se misturará.

E era preciso que fosse comido, estando prontos, as pessoas vestidas, prontas para a jornada. Quando isto fosse aplicado, as pessoas deviam estar prontas para a jornada. Isso não é para o incrédulo, parado do lado de fora e simpatizante com isto. É para o crente que já está pronto sob o Sangue, já vestido, calçado, com o bordão em sua mão, seus lombos cingidos, e prontos para viajar.

E hoje inclinamos nossas frontes ao redor de nossa mesa, para agradecer a Deus pela comida natural, pela qual Ele tem dado o crescimento e provido para nós este ano. E se Ele não tivesse feito isso, todos nós teríamos morrido. Porque a única maneira pela qual você pode viver fisicamente, é porque algo tem que morrer a cada dia para que outro possa viver. Se você come carne, a vaca morreu. Se você come carneiro, bem, ele morreu. Se você come batatas, é vida, elas morreram. Se você come verduras, isso morreu. Você simplesmente vive através de substâncias mortas. E se algo não morre, você não vive. E se algo tem que morrer para que você possa viver fisicamente, quanto mais é esse Algo que teve que morrer para que pudéssemos viver eternamente? E é pela substância desta morte da qual estou falando esta noite, que nós estamos vivos nesta noite. Algo tem que morrer. A Páscoa foi um tipo de Cristo – nossa Vida Eterna.

Ele disse, “O sangue vos será um sinal”, um sinal. “Um sinal”, de acordo com o dicionário Webster, “é um símbolo de um preço que foi pago.” Como nas companhias de trem e companhias de ônibus. Você somente anda de ônibus ou de trem por meio de um sinal, em muitos lugares. Você compra sua passagem, paga por ela e eles lhe dão um sinal de que a sua viagem tem sido paga. Então é isso que você tem que ter para viajar num bonde ou na companhia de trem.

O cordeiro imolado de Israel era o requisito de Jeová. Para escapar da morte, tinha que haver um substituto. E Jeová requereu o cordeiro imolado, e o sangue era o sinal de que o requisito tinha sido cumprido. Agora, o sangue era o sinal que algo tinha morrido, e o próprio sangue era o sinal. Ele estava dizendo que, “Esta casa tem cumprido os requisitos da palavra de Jeová, e por isso está protegida por este sinal, que a nossa passagem tem sido paga.”

Que belo tipo aqui, Cristo nisto. O tipo de nosso Sinal, hoje. A vida veio do sacrifício. E agora o sangue era o sinal. Suas ordens haviam sido cumpridas. O Sangue! Você apenas tinha que ter o sangue na porta quando o anjo da morte passasse, e era um sinal que o cordeiro tinha morrido. O sangue era o sinal que os requisitos de Jeová tinham sido cumpridos nessa casa, e o preço tinha sido pago, e o sinal era aquele. “Quando eu vir o sinal, passarei de vós.” Quando havia o sinal mostrava o preço. Vê, o sangue não era morte, mas era um sinal de morte. “Quando eu vir o sangue, eu saberei que o preço da morte foi pago, então passarei de vós.”

Observem, vejam, o crente adorador era identificado com seu sacrifício pelo sinal. O adorador que cria em Jeová, e tinha preenchido os requisitos de Jeová, tinha se identificado pela aplicação do sinal para si próprio e para a sua casa, isso é, que o adorador cria nisso. Um tipo perfeito de Cristo para esse dia! Então, o sangue era um sinal de identificação que este crente já tinha preenchido o requisito de Jeová. “E eu estou seguro que o anjo da morte passará da minha casa porque eu tenho cumprido com o sinal de Jeová. Um cordeiro foi morto, ao invés da minha família e os meus amados que estão sob este sangue e ali está o sinal que o cordeiro está morto.” Amém. “Ali está o sinal. Os requisitos de Deus têm sido preenchidos.” Amém. Quando eu penso nisso, meu coração pula de alegria.

Foi ordenado a Israel que permanecesse sob aquele sangue até que chegasse a ordem de marchar. “Não saiam de debaixo dele!” Uma vez debaixo daquele sinal, estavam selados ali. “Não saiam disso!” Ficaram ali até que soou a meia-noite e as trombetas soaram. E quando as trombetas soaram, as buzinas de chifres de carneiros começaram a soar, cada um saiu com sua provisão, a caminho da terra prometida.

Assim também é cada homem ou mulher que é cheio do Espírito Santo, ele está selado, e seguro de todo mal e perigo. Sua vida toda expõe o que ele é, onde quer que ele caminhe, seja qual for seu negócio, seja com quem fale. Quando ele entra em contato com mulheres, quando entra em contato com quem se relaciona, quando ele entra em contato com qualquer coisa, esse Sinal está exposto aí. Amém! Quando chega à morte: “Não temerei mal algum porque Tu estás comigo,” ali está aquele Sinal. Quando chegar à ressurreição, ele estará ali, porque Deus o ressuscitará no último dia. Assim disse Jesus!  “Vendo Eu o Sangue, o Sinal, passarei por cima de vós.” Oh!

Lembre-se, se aquele sinal não fosse exposto, mesmo o pacto ficava anulado. Isso mesmo. O pacto ficava anulado. Não havia pacto enquanto aquele sinal não estivesse lá. O sinal representava o pacto. Deus fez um pacto com eles, sim, senhor, porém o sinal tinha que estar. Não era efetivo, o pacto não era, a menos que o sinal estivesse lá.

Pode ter existido muitos judeus que disseram: “Venha aqui! Não tenho sangue na minha porta, porém quero mostrar-lhe algo, eu sou um judeu circuncidado. Eu sou circuncidado.” Isso não significava aquilo. “Vendo Eu o sangue! Vendo Eu o sinal!”

Você pode dizer:  “Eu sou batista, presbiteriano, metodista,” ou o que você queira ser. Mas: “Vendo Eu o Sinal!”

Você diz: “Eu sou crente. Minha mãe foi membro desta igreja. Meu pai foi membro desta igreja. Eu sou membro ali desde menino.” Isso não significa aquilo. “Eu não minto, roubo. Eu não faço isto.” Isso não significa aquilo. “Eu pertenço ao MPV. Eu faço isto, aquilo ou aquilo mais. Eu creio em toda a Palavra.”

Aqueles judeus podiam dizer:  “Eu creio em Jeová!”

Se cresse, ele teria ouvido a Mensagem da hora. Certamente que sim. Tinham muitas mensagens, porém esta era a Mensagem da hora. Percebe? Eu creio na Mensagem da hora. Sim, o sangue foi aplicado no entardecer.

Poderiam ter dito:  “Eu, eu sou judeu.”

As pessoas hoje dizem:  “Eu sou cristão. Eu posso lhe mostrar meu registro de membro desde há muito. Quero que você me diga quando foi que roubei algo, quando estive num tribunal. Mostre quando foi que cometi adultério. Eu não faço estas coisas todas, ou algo assim. Mostre-me um só exemplo.” Isso não significa nada agora. Não, não. Veja, não importava quanto pacto houvesse, o pacto era sem efeito. Não era efetivo.

Você diz: “Bem, eu sou um estudante bíblico.”

Não me importa o que você seja. Sem esse pacto a ira de Deus está sobre você. Isso mesmo. Ela já alcançou você. Sim. “Seus pecados hão de achá-lo.” Que é mesmo pecado? Incredulidade. Você descreu da Mensagem. Você descreu da Palavra. Você descreu do testemunho do Próprio Sinal, quando Ele tem Se identificado em nosso meio. E você tem descrido Disso? Não importa quanto você descreia Disso, Ele tem de ser aplicado.

Você pode dizer: “Eu creio Nisso. Eu creio Nisso. Eu creio que Isso é a Verdade. Eu aceito Isso como a Verdade.” Então tudo está muito bem, porém Isso tem de ser aplicado.

Ora, havia um judeu misturando o sangue, enquanto o Cordeiro sangrava, dizendo: “Isto é Jeová.” E ali estava um sacerdote, dizendo: “Sim, senhor, eu creio que isso é a verdade,” porém na sua própria casa não havia sido aplicado. Ele não queria identificar-se com aquele grupo; não, senhor, aqueles fanáticos com o sangue na porta. Ele não queria aquela identificação. Não importava quanto se dedicasse como sacerdote, quanto ele conhecesse a Palavra, o quanto ele tenha sido bem criado, que obras tinha feito, quanto havia dado aos pobres, quanto ele havia sacrificado!

Não me importa, você pode ter expulsado demônios. Pode que você tenha curado enfermos através de sua oração de fé. Você pode ter feito todas estas coisas. Porém se aquele Sinal não estiver aí, você está sujeito à ira de Deus. Pode ser que você seja um crente. Pode ser que você fique no púlpito e pregue o Evangelho. “Muitos virão a Mim naquele dia, e dirão: ‘Senhor, Senhor, não profetizei eu em Teu Nome, preguei em Teu Nome? Não expulsei demônios em Teu Nome?’” Isso é metodistas, batistas e pentecostais igualmente. Jesus disse:  “Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade. Nunca vos conheci.”

 “Mas vendo Eu o Sinal, passarei por cima de vós.” Este é o requisito de Deus para esta hora. A Mensagem do entardecer, é para aplicar o Sinal.

Satanás tem atirado toda classe de falsificações, de dar aperto de mão, e de evidências, e tudo isso. Esqueça isso! A hora chegou quando o Próprio Sinal; não qualquer coisa falsificada, manufaturada, substituta.

A hora chegou quando o Próprio Sinal está Se identificando bem em nosso meio, e provando que Ele é o mesmo Jesus ontem, hoje, e para sempre, e que Ele está precisamente com a Palavra. Ele tem de ser aplicado. Um homem que diz ter o Sinal, nega esta Palavra, e então o que me diz disso? Veja, não se pode fazer isso. O Sinal tem de estar aí. “O sangue vos será um sinal.” Agora o Espírito Santo, a Vida que estava no Sangue, é um Sinal para você. Chegarei nisso num momento, veja. O Espírito Santo é o Sinal. O caso está concluído. Sim, senhor.  

Não importa o que você é, quão bom seja, quantas vezes tenha dado pulos, à quantas igrejas se uniu, quantas boas coisas tenha feito, isso não significa nada para você se o Sinal não estiver aplicado. Este é o entardecer. Isso funcionou bem nos dias de Lutero, isso funcionou bem nos dias de Wesley,  porém agora já não serve. Não.

Um judeu podia plenamente mostrar, por meio da circuncisão, que ele era um crente. Há muitos homens, homens fundamentalistas, que podem tomar esta Bíblia e dizer:  “Eu sou crente, e Jesus disse que ‘por fé’ somos salvos. E sou crente, mas aquele batismo do Espírito Santo é bobagem.” Então o Sinal não está aplicado. Não importa quanto ele creia, está anulado.

Exatamente como a circuncisão do judeu. Ele diria: “Eu sou judeu. Por que tenho de ir lá e agir como aquele monte de fanáticos?”

Moisés na rua, ia para lá e para cá, dizendo: “Aqui está a mensagem do entardecer! Sucederá, ao fim dos quatorze dias, que juntareis a congregação e matareis o cordeiro. Toda a congregação de Israel o matará, porão suas mãos sobre ele, identificando-se com ele. E o sangue será posto sobre o portal, e sobre a verga da porta, e: “Vendo Eu o sangue, passarei por cima de vós, porque é um sinal que haveis aceitado a morte do cordeiro que Eu provi para vós.” O sangue era o sinal.

E você não pode fazer isso. Você não pode colocar o sangue na verga da porta, onde o sinal não poderia estar a menos que o cordeiro morresse. E o sangue era um sinal positivo que o cordeiro havia morrido. Não algo manufaturado; o cordeiro havia morrido!

E o Espírito Santo é um Sinal positivo que seu Cordeiro morreu e que você recebeu sobre si o Sinal, porque Sua própria Vida está em você. Está vendo? Não há nada manufaturado. Não há fingimento. Não há imitação. Está aí! Você sabe disso. Você sabe disso. O mundo sabe disso. O Sinal está aí.

Paulo disse que seria possível. “Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, embora eu entregasse todos os meus bens para sustento dos pobres, meu corpo para ser queimado como sacrifício, tivesse fé para transportar os montes, e estas coisas, ainda assim nada seria.” Não confie nisso. É o Sinal! Não importa quanto você tenha feito, quão bom você seja; quando a ira de Deus subitamente ocorrer, ela unicamente reconhecerá o Sinal.

É um Sinal que um preço, que foi requerido, foi pago. E o preço que foi pago foi a Vida de Jesus Cristo, e Ele deu Sua Vida. E o Espírito Dele volta sobre você, como Sinal que você foi recebido. E você leva o Sinal consigo, dia e noite, não somente no domingo. E o tempo todo que você tem o Sinal. “O sangue vos será por Sinal.”

 Trecho da mensagem: O Sinal, de William M. Branham, em 1º Set de 1963.