A Unidade de Deus

Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; (Ef 4:6)

As sagradas Escrituras não se contradizem, pois foram inspiradas pelo Espírito Santo de Deus. De Gênesis a Apocalipse, Elas ensinam claramente que o nosso Deus é um. E esta unidade de Deus é uma unidade simples, significa, não pode ser decomposta, embora os trinitarianos defendam que Deus é uma unidade composta, ou seja, possuem partes que podem ser separadas. Na minha mente limitada, um objeto que é um somente poderia ser separado se partido ao meio. O numero um é uma unidade simples: “Um só Senhor”. Agora a unidade da Igreja é composta, pois somos vários membros formando um único corpo. E, com certeza, o nosso Deus não é um conjunto de três pessoas formando uma.

O que minha humilde compreensão alcança é que Deus é único, mas com diferentes manifestações. Ou seja, o mesmo Deus assumindo formas diferentes. Revelando-se ao Seu povo como Pai, Filho e Espírito Santo, mas sendo o mesmo Deus, se desvelando durante a História. Como Pai Ele é Deus sobre nós, como Filho Ele é Deus conosco e como Espírito Santo Ele é Deus em nós. E desse modo o Filho, Jesus, é Deus, com todos os seus atributos. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Hb 13:8)! E como Filho Ele veio revelar a Si mesmo como Único Deus Verdadeiro. Por isso o apóstolo, João, disse:

          E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. (I Jo 5:20)

Jesus falando à Samaritana em João 4, disse: “Deus é Espírito”. Ora, se há apenas um Espírito, certamente que este é o Espírito Santo de Deus, declarado por Paulo aos efésios. Não há dois, mas um Único Espírito Santo. Um só Senhor, uma só fé, um só batismo! E em Coríntios 3:16 e 17 o apóstolo Paulo declara:

Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará. Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.

O Deus do Antigo Testamento prometeu estar presente e vir Ele mesmo para salvar o Seu povo. E foi isto exatamente que Ele fez. Ele veio e consumou toda Sua obra. Outrora manifestado como Criador, mas nos últimos tempos como Redentor, andando no meio do Seu povo. Veja: em Moisés Ele foi o Grande Eu Sou que libertou Seu povo do jugo da escravidão. Em Cristo, como Messias, é o Salvador de todo o que Nele crê. E nos nossos dias, na Sua Igreja, é o Espírito Consolador. Porém não três, mas uma única Pessoa. E neste testemunho creram todos os patriarcas e profetas de Deus. Não podemos separá-Lo em três pessoas distintas e depois afirmarmos que três é igual a um. Mas de onde veio à doutrina da trindade, senão do Concílio de Nicéia, a partir do ano de 325 d.C, onde a Igreja primitiva apostatou da Palavra? Podemos procurar em toda a Bíblia e jamais encontraremos base para justificar tal doutrina. Nem mesmo o nome trindade é citado nas Escrituras.

Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. (Dt 6:4-5).

Há uma canção que diz “O Deus Criador se tornou meu Salvador”! O Deus forte, o Pai Eterno, o Jeová do Antigo Testamento nasceu e viveu como um homem, para se tornar o meu Parente Redentor, conforme ordenava a lei. Manifestou-se em carne para poder redimir Seu povo; Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem (I Tm 2:5). Aquele mesmo Emanuel declarado pelo profeta Isaías, capítulo 9 verso 6:

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

Veja que o profeta diz que este mesmo menino que nos foi dado se chama Pai da Eternidade. Ele é Deus, é Único. Porém com diferentes ofícios em sua relação com o homem. Mesmo manifestado em Filho, é ao mesmo tempo Pai e Espírito. Pois é tudo em todos. Foi Jesus mesmo quem disse a Filipe: Quem vê a mim vê o Pai; e ainda disse: Eu e o Pai somos um (Jo 14:9-10; 10:30). E, de todas aquelas pessoas que o cercavam, somente onze deles compreenderam realmente Quem Ele era. Eles sabiam que Ele era Deus, e somente Deus.

Deus sempre, tem se escondido por trás de um véu em todas as eras, mas Ele tem sido Deus todo o tempo. Ele mantém a Sí Mesmo escondido do mundo, e revela a Sí Mesmo a Seu eleito, como para os apóstolos naquele dia. Agora, Aquele era Deus falando em Cristo.

Moisés certa vez desejou ver a Deus, e Deus lhe disse para subir em uma rocha. E, na rocha, Moisés subiu e ele viu Deus passando, e as Suas costas pareciam com as costas de um homem. Porque esta é a Sua maneira, esta é a forma que Ele prefere se revelar, na carne. Quando Ele fez o homem disse que o faria à Sua imagem e semelhança e assim O fez. Deus, sendo único, formou um único homem, e soprou neste homem o espírito de vida. Aquele primeiro Adão era apenas a Sua imagem, mas o último Adão, que é Cristo, era Ele mesmo (II Cor. 15:45).

Ninguém jamais viu a Deus, Ele sempre foi um grande mistério para o homem. Ninguém jamais pode conhecê-Lo pelo arrazoamento humano, pelas concepções intelectuais e especulações de dogmas e da teologia. Não é por muito estudar, ou por fazer parte de uma organização. É pelo novo nascimento, pela experiência sobrenatural concedida por Seu Espírito, através da Sua Palavra. Por isto Ele mantém a Sí Mesmo escondido do mundo, e revela a Sí Mesmo a Seu Eleito, como para os apóstolos naquele dia.

             Pois ninguém conhece ao Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar (Mt 11:27).

Todo conhecimento de Deus é transmitido por revelação. Não por doutrinas inventadas por mentes férteis, mas pela simples fé em um Deus que se revela pessoalmente. Por fé em uma Palavra que não precisa de nenhum recurso humano para ser compreendida. Por instrumentalidade sobrenatural do Espírito Santo testificando em nossos corações que Ele vive e reina.

            Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. (Tg 2:19)

Concluindo aqui o nosso breve pensamento a respeito da deidade. O nosso objetivo neste pequeno estudo não é rechaçar nenhuma doutrina que crê diferente do que estou falando. Mas é chamar a atenção de que nada está acima da Palavra de Deus. E que, uma doutrina não é verdadeira simplesmente pelo fato dela ter muito tempo em uso; como dizem: é uma antiga tradição da nossa igreja! E também não a torna verdadeira o fato de ter a grande maioria das pessoas no mundo crendo e vivendo por ela. Mas somente será verdadeira se vier de Deus, se for respaldada por Sua Palavra. A Igreja de Cristo terá sempre que buscar a Verdade na Palavra de Deus. Ela está aliançada com Cristo por Sua Palavra.

            E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, (I Tm. 3:16a)