Batismo Bíblico

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;... Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. (Mateus 28:19/Atos 2:38)

CONSIDERAÇÕES:

 A palavra batismo veio do grego “baptízo”, que significa mergulhar, imergir, ou imergir para tingir uma roupa”. Considerando que batismo é um sepultamento do velho homem, entendemos obviamente que o mesmo deve ser sepultado nas águas mergulhando-o, e assim identificando-o com a morte, sepultamento e ressurreição do Senhor Jesus Cristo (Rm. 6: 3-5). Concluímos então que o batismo correto é por imersão, ou mergulho e não por aspersão.

Algumas denominações que aspergem as pessoas no batismo, tentam basear sua doutrina no episódio de Felipe e o Eunuco, quando Eunuco disse: “Eis aqui água; que impede que seja batizado? (Atos 8:35b). Eles querem insinuar que o Eunuco foi aspergido, mas o contexto mostra que ambos entraram naquelas águas, que parecia ser um pequeno riacho, onde Felipe batizou o Eunuco por imersão.

Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, não o vendo mais o eunuco; e este foi seguindo o seu caminho, cheio de júbilo. (Atos 8:39-40)

Infelizmente, a origem do batismo por aspersão está no Catolicismo Romano e não na Bíblia.

Quero ainda considerar uma indagação a respeito do batismo. Seria correto batizar em rios, em açudes, em represas, em tanque ou em mares? Embora alguns pastores sustentam que o batismo correto deve ser em rios, quero afirmar que a Bíblia atesta que não existe batismo em rios, mas batismo nas águas (Jo. 3:23). Portanto, onde tiver água suficiente para imergir o novo convertido, ali é o local ideal para realizar o batismo. “Eis aqui água; que impede que seja batizado?” (Atos 8:35b).

 ANALISANDO A MANEIRA DO BATISMO

             Para analisarmos o batismo com um pouco mais de profundidade, devemos esclarecer dois textos principais do assunto (Mateus 28:19 e Atos 2:38). A maioria das denominações sustentam a forma de batismo: “Pai, Filho e Espírito Santo”. Argumentando que devemos seguir a ordem de Jesus e ignorar o que Pedro disse em Atos, quando quase três mil pessoas foram batizadas em Nome de Jesus Cristo. Agora é uma ignorância dizer que devemos ficar com Jesus e não com os apóstolos, pois isto equivale dizer também, que as epístolas do Novo Testamento, escritas pelos apóstolos, deveriam ser desconsideradas.

Todavia vamos procurar entender a Palavra de Deus. Será que o apóstolo Pedro não seguiu a ordem de Jesus? Será que Pedro no dia de Pentecostes não estava falando pelo Espírito Santo? É evidente que Pedro seguiu a ordem de Jesus e falava pelo Espírito Santo. O Espírito Santo estava inaugurando a Igreja e dirigindo-a em toda Verdade, como Cristo prometera (Jo 16:13)

            Vamos encarar os fatos como ocorreram. Todo estudante das Escrituras sabe que o livro de Atos dos Apóstolos é o livro histórico do início da Igreja. E neste livro ninguém foi batizado em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, mas no Nome do Senhor Jesus.

Vejamos alguns textos:

Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo,  (Atos 2:38a)

Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus. (Atos 8:16)

Mandou, pois, que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então lhe rogaram que ficasse com eles por alguns dias. (Atos 10:48)

Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. (Atos 19:5)

            Observando estes textos, fica outra pergunta: existe uma contradição na Bíblia? Ora, se houvesse uma contradição nas Escrituras, Elas não seriam fidedignas e nós estaríamos perdidos. Portanto não existe contradição alguma na Bíblia. O que os homens deveriam fazer é colocar os mandamentos de Deus acima das suas tradições, pois são as tradições que se contradizem.

Existe uma matéria na teologia chamada hermenêutica, que diz que um texto não pode ser interpretado isoladamente, mas é exatamente isso que fazem a maioria das denominações com Mateus 28:19. Eles dizem: “esta é a formula”. Todas as outras referências sobre batismo são desconsideradas.

            Porém, uma coisa que Pedro sabia, que a maioria dos pastores não sabem hoje, ou não procuram saber e preferem ficar com suas tradições religiosas, era que: Pai não é Nome, mas uma função; e Filho também não é Nome, mas outra função; e que Espírito Santo também não é Nome, mas o que Deus é, Deus é Espírito (Jo 4:24). Jesus Cristo pediu para usar o Nome (no singular) do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ora, eu sou um pai, graças as Deus por isso, mas este não é o meu nome. Eu também sou filho, mas também este não é o meu nome. Todavia eu possuo um nome que autentica todos os meus atos como cidadão. Caso eu assine um cheque para meu filho comprar um brinquedo, eu não posso escrever no cheque a palavra pai, nenhuma loja aceitaria este cheque; embora meu filho provasse que eu sou o seu pai, o cheque só valeria com assinatura do meu nome. Portanto, compreenda que, todos os atos da Igreja sejam em obras ou palavras, para serem validados por Deus, devem ser feito em Nome do Senhor Jesus Cristo. É evidente que o batismo é um ato tanto de palavras como de obras e, portanto, deve ser feito em Nome de Jesus. Os apóstolos sabiam muito bem disso:

          E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação (obras), fazei-o em nome do Senhor Jesus, (Col. 3:17a)

Gostaria de lhes mostrar outro detalhe que, por causa de uma mente viciada, o povo não percebe. O Senhor disse em Nome e não no Nome. Em nome significa no lugar, ou representando a alguém. Quando fazemos uma obra em Nome de Jesus estamos fazendo em seu lugar. Quem fizer qualquer coisa em meu nome seria como se eu mesmo tivesse feito. Pergunto: quem veio a terra revelar o Pai? Quem manifestou o Pai aos homens? Quem veio em Nome do Pai? Quem estava revelando ao mundo o Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo? O Senhor Jesus Cristo sem dúvida alguma.

Disse-lhe Jesus: Filipe há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: mostra-nos o Pai? (Jo. 14:9)

Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou. (Jo 1:18).

            Meu filho de oito anos sabe qual é o meu nome, mas a “Igreja da atualidade” não sabe qual é o Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Is. 9:6/At. 4:12/Fp. 2:9/I Jo 5:20).

 ENTENDENDO A IDENTIFICAÇÃO NO BATISMO

             O Objetivo do batismo é nos identificarmos com o sacrifício do Senhor Jesus Cristo. Ele morreu a nossa morte, para podermos herdar a Sua vida. Quando nos convertemos, a Bíblia atesta que nascemos de novo (Jo. 3:3). Aquele que está pela fé vivendo em Cristo Jesus é uma nova criatura (IICor. 5:17). Através do batismo estamos testificando que morremos para o pecado e nascemos para esta nova vida em Jesus Cristo. Como poderíamos nos identificar com Ele, sem o uso do Seu Nome?

            Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição; (Rm. 6:3-5)

            Qualquer um é capaz de entender que o que identifica uma pessoa é o seu nome. E se estou me identificando com o sacrifício do Senhor Jesus pelo batismo, fica claro e evidente que esta identificação (batismo) deve ser realizada em Seu Nome.

            Quero considerar um detalhe muito importante. O batismo é uma identificação com o sacrifício de Cristo em favor dos nossos pecados. Somos batizados após a conversão, ou seja, quando aceitamos a Jesus Cristo, confessando os nossos pecados e nos arrependendo indo a cruz com Ele; então, crucificamos o velho homem com os seus antigos hábitos, e assim recebemos uma nova vida em Cristo Jesus. Portanto a identificação (batismo) é válida somente quando há arrependimento (At. 2:38).

            Graças a Deus em poder nos identificar, através do batismo, com aquilo que o nosso Salvador realizou por nós!

 O ÚNICO NOME DIGNO PARA O BATISMO 

             A Igreja em Corinto enfrentou uma dissensão na fé. Eles, infantilmente, estavam se nomeando dizendo: eu sou de Paulo, eu sou de Apolo, eu sou de Pedro, eu sou de Cristo. O apóstolo Paulo, sabendo que o batismo é o ato imediato a conversão, e que o mesmo era feito em Nome do Senhor Jesus, apela para forma Bíblica do batismo, tentando mostrar que eles pertenciam ao Senhor Jesus. O apostolo estava mostrando que eles não foram batizados em nome daqueles que os levaram para Cristo, mas em Nome de Jesus. Vejamos as declarações:

            Será que Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado por amor de vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo? (I Cor. 1:13)

            Paulo está nos dando a entender quando diz: eu não fui crucificado, mas Jesus foi; vocês não foram batizados em meu nome, mas no Nome de Jesus. Como isto esclarece o meu coração!

            Observe na seqüência como o apóstolo explica que Jesus Cristo é o único Nome digno que eles deveriam ser batizados:

            Dou graças a Deus que a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio; para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. (I Cor. 1:14-15)

            Glória a Deus por ser batizado no único nome digno, Senhor Jesus Cristo. Amém!

OS CRISTÃOS REBATIZADOS EM ÉFESO

             Paulo quando chegou a Éfeso, onde uns doze homens haviam sido ganhos por Apolo, percebendo que eles não tinham recebido o Espírito Santo, os indagou em que batismo tinham sido batizados e a resposta foi no batismo de João. Todos aqueles doze homens tinham sido batizados por João Batista, no entanto, foram batizados novamente por Paulo em Nome do Senhor Jesus.

            Observem o texto:

            E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo. Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus. Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam. (Atos 19:1-6)

            Aqueles discípulos tinham sido batizados por João Batista. Paulo disse que aquele batismo valeu até o sacrifício de Cristo ser oferecido. Então o apóstolo os batizou novamente em Nome do Senhor Jesus Cristo e cumpriu-se exatamente na vida deles Atos 2:38.

            Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.

            Qualquer pessoa que não recebeu o batismo Bíblico, como deve ser no Nome do Senhor Jesus, não recebeu o verdadeiro batismo, pois é uma obra sem autenticação. E qualquer cristão que foi batizado de maneira errada, usando os títulos Pai, Filho e Espírito Santo ou mesmo aspergido, e chegar até ele o esclarecimento da Palavra de Deus, assim como chegou aos discípulos em Éfeso, devem ser rebatizados da maneira correta e assim cumprir as Escrituras.

            O apóstolo Paulo mais tarde escreveu a Epístola aos efésios dizendo para eles que, diante de Deus, só havia um batismo reconhecido (Ef. 4:5). E qual batismo Paulo os rebatizou (At. 19:5)? Qual batismo os demais apóstolos praticaram (At. 2:38)? Evidentemente que foi em Nome do Senhor Jesus!

            A Igreja do Novo Testamento perseverava na doutrina dos apóstolos, a “Igreja contemporânea”, infelizmente, persevera na doutrina do catolicismo.

            E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações (Atos 2:42)

COMENTÁRIOS BÍBLICOS, HISTÓRICOS E BIBLIOGRÁFICOS:

             Comentário Bíblico sobre o batismo:

Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. (At. 2:38)

Observe o comentário da Bíblia Plenitude (SBB-2002). “Pedro pede que seus ouvintes mudem de opinião e postura em relação a Cristo, a fim de serem batizados em Nome de Jesus Cristo como reconhecimento público de que haviam aceitado Jesus como Messias e Senhor. “Nome” sugere natureza ou caráter; portanto, ser batizado em Nome de Jesus significa admiti-lo, com tudo que o Seu Nome denota.

Registro histórico sobre o batismo:

(O que se segue é um registro verdadeiro de um batismo que aconteceu em Roma D.C. 100 e foi reproduzido pela revista “Time” em 05 de dezembro de 1955. “O diácono levantou sua mão, e Publius Decius entrou pela porta do batistério. De pé, da cintura para baixo dentro da piscina estava Marcus Vasca o vendedor de madeiras. Ele estava sorrindo quando Publius entrou na piscina ao lado dele. “Crês?” Ele perguntou. “Creio”, respondeu Publius. “Creio que minha salvação vem de Jesus Cristo que foi crucificado por Poncio Pilatos. Com Ele eu morri assim, com Ele eu posso ter a Vida Eterna”. Então ele sentiu braços fortes que o apoiavam quando ele se deixou deitar de costas na piscina (sendo imergido-Tradutor), e ouvi Marcus expressar nos seu ouvidos: “eu te batizo em Nome do Senhor Jesus”. Quando a água fria se fechou por cima dele.)

Registro bibliográfico sobre o batismo:

(Enciclopédia de Religião e Éticas Editadas por James Hastings Volume 2, páginas 384-1958 edição sobre o Método de Batismo. “A formula usada era o Nome do Senhor Jesus Cristo ou alguma frase sinônima; não há nenhuma evidência para o uso do nome da trindade”.)

 CONCLUSÃO:

             Está comprovado pela Bíblia e pelos registros históricos que nenhum batismo foi realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas sim em Nome do Senhor Jesus. A maioria das denominações fazem desta maneira, por que herdaram isto da Igreja Católica Apostólica Romana, assim como a aspersão e o batismo de crianças, praticado por algumas igrejas evangélicas.

            Nada, na verdadeira Igreja, pode ser feito usando a trindade; não se ora nem se batiza assim. Quem faz isso são os católicos. Mas tudo se faz em Nome do Senhor Jesus (Col. 3:17). Afinal nós somos de Cristo, confessamos o Seu Nome e fazemos tudo para Glória deste Nome. Amém!

            Finalizo esperando que este estudo tenha esclarecido sua vida, isto é o melhor que meu entendimento pode fazer. Espero que o Espírito Santo abra os teus olhos para compreender esta doutrina fundamental da Igreja. Que Deus te conceda Graça e coragem para aceitar o que é Verdadeiro(I Jo 5:20). Deus vos abençoe em Nome do Senhor Jesus!

 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu Nome;... E em seu Nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em toda as nações... Pois em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro Nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos... Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo, para remissão de pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo(Jo. 1:12/ Lc. 24:47 / At. 2:38/ 4:12)

Pr. João Gonçalves